A Análise Descritiva nas Pesquisas Científica e de Mercado

Em quais momentos a análise descritiva deve ser utilizada em uma pesquisa?

A análise descritiva, por ser uma técnica estatística simples, muitas vezes deixa de ser usada em determinadas pesquisas ou não é usada nos momentos ideais. Há ainda casos em que a análise descritiva e exploratória dos dados nem sequer é cogitada no estudo em questão! Seja qual for o tipo de pesquisa com qual se está lidando, isto é, uma pesquisa do meio acadêmico ou do meio empresarial, a análise descritiva não pode ser ignorada e deve sim ser usada nos momentos certos.

Inicialmente, é preciso se ter uma noção do que são pesquisas científicas e pesquisas empresariais.

Pesquisa científica, o que é?

As pesquisas científicas (ou pesquisas acadêmicas) são aquelas pesquisas realizadas por universidades públicas ou privadas e feitas por estudantes geralmente com a supervisão de algum orientador ou orientadora. Tais pesquisas podem ser desenvolvidas por estudantes de iniciação científica, de mestrado, de doutorado, de pós-doutorado ou por determinado grupo de pesquisa especializado em dada área.

Ainda sobre pesquisas científicas, ela é feita de modo a apresentar resultados mensuráveis e reproduzíveis. Por exemplo, suponha que é pesquisado por determinado grupo acadêmico os impactos psicológicos do isolamento social provocado pela pandemia da COVID-19. Para tal, o grupo realizou diversas perguntas para um grupo de 30 pessoas e com as perguntas foi possível coletar diversas variáveis e mensurar o quão impactante foi o isolamento.

Acerca de pesquisas acadêmicas (científicas), há diversas classificações para ela, como, por exemplo, pesquisa bibliográfica, pesquisa de campo, pesquisa laboratorial, pesquisa quantitativa, pesquisa qualitativa, etc. Ressalta-se que existem ainda mais classificações e elas não são excludentes, tal como uma pesquisa científica pode ser laboratorial e quantitativa.

E pesquisa empresarial, o que seria?

Além de conhecer sobre as pesquisas científicas, é preciso conhecer também as pesquisas empresariais. Como o próprio nome diz, as pesquisas empresariais são aquelas pesquisas realizadas por determinada empresa focando certo objetivo. Tais pesquisas podem ser desenvolvidas por um setor da própria empresa ou a empresa em si pode terceirizar o serviço de pesquisa por meio de uma empresa júnior.

A respeito de pesquisas empresariais, ela é feita com determinado objetivo em mente, ou seja, a pesquisa é feita para responder certa pergunta que a empresa quer saber. Por exemplo, suponha que determinada empresa de tecnologia quer desenvolver e lançar um novo modelo de smartphone. Para que essa empresa não corra o risco de criar um modelo do zero e em seguida o referido modelo não vender, é feito uma pesquisa de mercado para ver se há público-alvo interessado em comprar tal celular.

Do mesmo modo que as pesquisas científicas têm suas classificações, as pesquisas empresariais também têm suas classes. Pode-se ter pesquisa de opinião, pesquisa top of mind, pesquisa de mercado, pesquisa de satisfação, etc. E assim como ocorre nas pesquisas científicas, as classificações das pesquisas empresariais não são excludentes. Lembrando que o tipo de pesquisa dependerá do objetivo da empresa naquele momento.

Análise descritiva é uma simples técnica estatística?

Tendo conhecimento do que são pesquisas, já se sabe no que a análise descritiva pode ser empregada, contudo é preciso compreender exatamente o que é a análise descritiva em si.

A análise descritiva, ou chamada também de análise descritiva e exploratória de dados, é todo um conjunto de técnicas estatísticas simples e eficientes para o entendimento inicial de um banco de dados, seja esse banco de dados composto de variáveis quantitativas, variáveis qualitativas ou ambos os tipos de variáveis. Dentro de todo esse conjunto de técnicas, é feito também uma organização e sumarização das variáveis, a fim de facilitar o trabalho de análises estatísticas feitas posteriormente.

Além disso, dentro do arsenal de técnicas de análise descritiva, tem-se as medidas resumo, como média, mediana, medidas separatrizes e moda. Há também as medidas de dispersão, como variância, desvio padrão, coeficiente de variação e amplitude. Tanto as medidas resumo quanto as medidas de dispersão caracterizam o banco de dados, sendo que as medidas resumo são responsáveis por sumarizar todo o banco de dados em um único valor e as medidas de dispersão retratam o quão heterogêneo é o banco de dados.

Ainda acerca de análise descritiva e exploratória, é possível criar gráficos para mostrar visualmente comportamentos do banco de dados. Dentre os gráficos, pode-se citar o histograma, box-plot, dot-plot, polígono de frequência, ramo e folhas, sendo todos esses gráficos para variáveis quantitativas. Agora sobre gráficos para variáveis qualitativas, tem-se o gráfico de barras, gráfico de setores, gráfico mosaico e o diagrama de Pareto.

Finalmente, incluso na análise descritiva, pode-se fazer análises univariadas e bivariadas a respeito dos dados que estão em estudo. Por meio dessas análises, é possível chegar a conclusões que levam até o objetivo da pesquisa, além de se obter também associações entre as variáveis e mensurá-las, dizendo o quão associadas elas estão uma com as outras.

Momentos em que se deve usar a análise descritiva

Agora sabendo o que são pesquisas científicas e pesquisas empresariais, e tendo um conhecimento sobre o que é analise descritiva, pode-se comentar alguns contextos em que a análise descritiva e exploratória deve ser utilizada.

• Sempre use a análise descritiva no início da pesquisa ou estudo em questão.

Muitas vezes no início da pesquisa, por mais que se tenha um objetivo em mente, é difícil pensar em uma metodologia para aplicar no banco de dados quando não se tem a informação dele expressa de forma visual e resumida. Assim sendo, por meio da análise descritiva é possível identificar certas medidas resumos (como, por exemplo, média) e fazer alguns gráficos para que tenha uma noção geral do banco de dados.

• Utilize a análise descritiva quando não souber qual metodologia de análise de dados usar.

Há uma infinidade de técnicas estatísticas para análises de dados, e no meio de tantas opções, a chance de usar uma técnica errada para um determinado banco de dados é alta. Por isso, use sempre a análise descritiva para ter um compreendimento melhor dos dados e escolher uma metodologia adequada posteriormente.

• Empregue a análise descritiva quando os objetivos da pesquisa são simples.

Tendo uma amostra, suponha que o objetivo da pesquisa seja apenas descobrir a média e mediana de dada variável quantitativa. Para tal, pode-se utilizar apenas a análise descritiva para descobrir tal média e mediana daquela amostra, não precisando recorrer a técnicas mais complexas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *