Pesquisa de Opinião: Como fazer? É apropriada para o ramo empresarial?

Atualmente, sentimos a necessidade de obter informações sobre nossa realidade como estudos comportamentais, prever eleições ou até mesmo entender melhor a opinião majoritária de uma população sobre um assunto específico. No entanto, demanda muito tempo e esforço termos que entrevistar indivíduo por indivíduo — além de que nem todos se dispõem a colaborar com a pesquisa — para notarmos alguma conclusão proveitosa ao nosso estudo.

Para que serve a pesquisa de opinião?

De acordo com esses obstáculos, utilizamos métodos de pesquisa de opinião para obtermos tais resultados a partir de amostras da população. Você já deve ter se perguntado: “Mas por que eu nunca fui entrevistado nessas famosas pesquisas?”, a resposta é que a probabilidade de sermos escolhidos aleatoriamente para registramos nossa opinião é muito pequena, considerando que devemos estar no subgrupo “amostra” que faz parte do grupo “população” em estudo (em pesquisas do Datafolha, que trabalham com grandes populações em seus estudos, a probabilidade é aproximadamente 0,001360544%).

As pesquisas de opiniões abrangem diversas áreas do nosso cotidiano, ou seja, podemos aplicá-la sobre uma população de uma escola, uma empresa ou até mesmo de um bairro de uma cidade até mesmo um país (em pesquisas eleitorais, por exemplo). Dessa forma, podemos compreender que tipo de informação a demanda está precisando naquele momento dentro de uma empresa, qual candidato está com mais intenção de voto, entender melhor o mercado e sua clientela e, assim, poder moldar a estratégia de vendas. Entendemos então, que a pesquisa de opinião tenta retratar o momento — não necessariamente fazer previsões — e tendências ajudando-nos a tomar medidas estratégicas a partir dessas informações.

Qual a maneira correta de se fazer uma pesquisa de opinião?

A amostra é a nossa principal peça de trabalho quando pensamos em pesquisa de opinião, é com ela que economizaremos insumos durante o processo. Mas como o estatístico ou o pesquisador determina o número exato da amostra? Bem, devemos considerar a margem de erro e o nível de confiança que se quer dar à pesquisa, por exemplo, se quisermos estudar uma pesquisa de opinião em padrão internacional, devemos considerar dois pontos percentuais (2pp) e 95% de confiança, logo depois atribuímos esses valores a fórmula seguinte:

Formula para calcular a amostra

O N é o número de pessoas que deveremos entrevistar, E é a margem de erro e o Z(alpha)/2 é o nível de confiança. Entretanto, a fórmula é só um passo do processo, antes de tudo, devemos ter precaução para não criarmos uma pesquisa tendenciosa. A parcialidade da pesquisa deve ser considerada pois o resultado final pode ser direcionado equivocadamente, como por exemplo, se quisermos entender melhor as necessidades de empregados em uma empresa, devemos entrevistar a quantidade proporcionalmente igual das classes sociais dentro daquela empresa, dessa forma, a informação será recebida com o mesmo tratamento e atenção.

É importante, também, considerar o meio de coleta de dados e como iremos entrevistar as pessoas. Dependendo do meio de comunicação, os entrevistados podem não se sentirem a vontade ou até mesmo acabar não participando, é o caso de coleta por ligações telefônicas, quando recebemos uma ligação com DDD que não é de nossa região, por exemplo, rejeitamos a ligação por pensarmos ser telemarketing ou alguma coisa do tipo, dessa forma, perdemos opiniões importantes para uma pesquisa. Assim também como uma pesquisa pública em uma rede social, o voto da pessoa estará público e outras pessoas poderão comentar sobre o estudo, as alternativas e até mesmo sobre o voto de alguma pessoa, isso pode induzir os entrevistados a escolher a opção que mais favorece os comentários, simplesmente por não ser criticado publicamente.

É apropriada para ser usada no meio empresarial?

Com certeza, a pesquisa de opinião é essencial para o meio empresarial, permite que as empresas obtenham respostas para questões importantes no mercado em diversos tópicos como questões pessoais, políticas, sociais e sobre os próprios funcionários para uma melhor vivência empresarial. A “pesquisa de opinião” no meio empresarial é mais conhecida por “pesquisa de mercado” pois ela foca mais em entender informações relevantes sobre a concorrência, identificar novas oportunidades de investimento e tomar novas decisões estratégicas. Além disso, também podemos utilizar a “pesquisa de satisfação” para ter em mente a aceitação de seus produtos e o comportamento de seus clientes.

A EJE faz essa pesquisa?

Sim! A pesquisa de opinião é um dos vários tipos de pesquisa com fins de auxiliar em descobertas de informações, assim como as que foram apresentadas no último tópico, a EJE trabalha com outras formas de pesquisa como: “Pesquisa de Perfil” e “Pesquisa Top Of Mind”. Você pode encontrar a que melhor se encaixa para sua pesquisa, trabalho ou ramo em nosso SITE e entrar em contato conosco para marcarmos uma reunião e entender todas suas dores e necessidades!

Gostou do nosso artigo?

Te convidamos a dar uma olhada em todo o nosso blog!

EJE – EMPRESA JUNIOR DE ESTATÍSTICA – BLOG

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *